terça-feira, 22 de abril de 2014

Mensagem de Páscoa do Papa Francisco – 20/04/14

Brasão do PapaMensagem de Páscoa e Bênção Urbi et Orbi
Papa Francisco no Balcão Central da Basílica de São Pedro
Domingo, 20 de abril de 2014
Boletim da Santa Sé
«Christus surrexit, venite et videte».
Amados irmãos e irmãs, boa Páscoa!
Ressoa na Igreja espalhada por todo o mundo o anúncio do anjo às mulheres: «Não tenhais medo. Sei que buscais Jesus, o crucificado; não está aqui, pois ressuscitou (…). Vinde, vede o lugar onde jazia» (Mt 28,5-6).
Este é o ponto culminante do Evangelho, é a Boa Nova por excelência: Jesus, o crucificado, ressuscitou!Este acontecimento está na base da nossa fé e da nossa esperança: se Cristo não tivesse ressuscitado, o cristianismo perderia o seu valor; toda a missão da Igreja via esgotar-se o seu ímpeto, porque dali partiu e sempre parte de novo. A mensagem que os cristãos levam ao mundo é esta: Jesus, o Amor encarnado, morreu na cruz pelos nossos pecados, mas Deus Pai ressuscitou-O e fê-Lo Senhor da vida e da morte. Em Jesus, o Amor triunfou sobre o ódio, a misericórdia sobre o pecado, o bem sobre o mal, a verdade sobre a mentira, a vida sobre a morte.
Por isso, nós dizemos a todos: «Vinde e vede». Em cada situação humana, marcada pela fragilidade, o pecado e a morte, a Boa Nova não é apenas uma palavra, mas é um testemunho de amor gratuito e fiel:é sair de si mesmo para ir ao encontro do outro, é permanecer junto de quem a vida feriu, é partilhar com quem não tem o necessário, é ficar ao lado de quem está doente,é idoso ou excluído… «Vinde e vede»: o Amor é mais forte, o Amor dá vida, o Amor faz florescera esperança no deserto.
Com esta jubilosa certeza no coração, hoje voltamo-nos para Vós, Senhor ressuscitado!
Ajudai-nos a procurar-Vos para que todos possamos encontrar-Vos, saber que temos um Pai e não nos sentimos órfãos; que podemos amar-Vos e adorar-Vos.
Ajudai-nos a vencer a chaga da fome, agravada pelos conflitos e por um desperdício imenso de que muitas vezes somos cúmplices.
Tornai-nos capazes de proteger os indefesos??, sobretudo as crianças, as mulheres e os idosos, por vezes objeto de exploração e de abandono.
Fazei que possamos cuidar dos irmãos atingidos pela epidemia de ébola na Guiné Conacri, Serra Leoa e Libéria, e daqueles que são afetados por tantas outras doenças, que se difundem também pela negligência e a pobreza extrema.
Consolai quantos hoje não podem celebrar a Páscoa com os seus entes queridos porque foram arrancados injustamente dos seus carinhos, como as numerosas pessoas, sacerdotes e leigos, que foram sequestradas em diferentes partes do mundo.
Confortai aqueles que deixaram as suas terras e migrando para lugares onde possam esperar um futuro melhor, viver a própria vida com dignidade e, não raro, professar livremente a sua fé.
Pedimo-Vos, Jesus glorioso, que façais cessar toda a guerra, toda a hostilidade grande ou pequena, antiga ou recente!
Suplicamo-Vos, em particular, pela Síria, para que quantos sofrem as consequências do conflito possam receber a ajuda humanitária necessária e as partes em causa cessem de usar a força para semear morte, sobretudo contra a população inerme, mas tenham a audácia de negociar a paz, há tanto tempo esperada.
Pedimo-Vos que conforteis as vítimas das violências fratricidas no Iraque e sustenteis as esperanças suscitadas pela retomada das negociações entre israelitas e palestinianos.
Imploramo-Vos que se ponha fim aos combates na República Centro-Africana e que cessem os hediondos ataques terroristas em algumas zonas da Nigéria e as violências no Sudão do Sul.
Pedimos-Vos que os ânimos se inclinem para a reconciliação e a concórdia fraterna na Venezuela.
Pela vossa Ressurreição, que este ano celebramos juntamente com as Igrejas que seguem o calendário juliano, vos pedimos que ilumine e inspire as iniciativas de pacificação na Ucrânia, para que todas as partes interessadas, apoiadas pela Comunidade internacional, possam empreender todo esforço para impedir a violência e construir, num espírito de unidade e diálogo, o futuro do País.
Pedimo-Vos, Senhor, por todos os povos da terra:Vós que vencestes a morte, dai-nos a vossa vida, dai-nos a vossa paz!

segunda-feira, 21 de abril de 2014

SUPERIOR PROVINCIAL DOS PADRES EUDISTAS FAZ VISITA CANÔNICA AO CEARÁ


De Salvador, chegou a Fortaleza para uma visita canônica, o padre Gustavo Lodoño, Superior Provincial dos Padres  Eudistas. A sua visita foi iniciada ontem à Casa de Formação e as cinco capelas da Paroquia São João Eudes, no bairro Luciano Carneiro. Na chegada ele foi recepcionado pelo padre Amado.

A permanência do padre Gustavo Lodoño será até o fim desta semana, quando ele estará seguindo para Bogotá, na Colômbia.


domingo, 20 de abril de 2014

CELEBRAÇÃO DA VIGÍLIA PASCAL NA CAPELA NOSSA SENHORA DO PERPÉTUO SOCORRO



A celebração da Vigília Pascal, na noite passada, na Capela Nossa Senhora do Perpétuo Socorro, no bairro Guararapes, nas proximidades do Iguatemi e que pertence à Paróquia São João Eudes, começou com a Bênção do Fogo, no pátio de estacionamento de veículos, onde fora acesa uma fogueira. Mas antes houve a procissão do Círio Pascal, símbolo do Cristo Ressuscitado, presidida pelo padre João Carlos. Muitos fiéis chegaram cedo para pegar um bom lugar. 

Para que fosse iniciada a celebração, as luzes da capela foram apagadas e fora dela acesa uma fogueira.  Em seguida, o padre João Carlos abençoou o fogo novo e preparou o Círio Pascal, dizendo palavras, retiradas do Missal Romano, que falam da eternidade de Cristo,


Antes de entrar na Capela, os fiéis acenderam suas velas no fogo do Círio, que aceso foi erguido pelo presidente da celebração que proclamou “Eis a luz de Cristo”, por três vezes, com a terceira diante do altar. Depois o Círio foi colocado em lugar de destaque. Nesse momento, foram acesas as luzes da Igreja e iniciada a Liturgia da Palavra, que proclama as grandes maravilhas realizadas por Deus ao longo da história da humanidade.

As primeiras leituras foram retiradas do Antigo Testamento, intercaladas com um Salmo, uma leitura do Novo Testamento (Romanos 6, 3-11), para em seguida o celebrante proclamar o Evangelho de Mateus 28, 1-10, que fala sobre a ressurreição de Jesus Cristo, com as mulheres partindo de pressa do sepulcro para darem a grande notícia aos discípulos.  




sábado, 19 de abril de 2014

PAIXÃO E MORTE DE JESUS CRISTO E VIA SACRA NA PARÓQUIA SÃO JOÃO EUDES





A Paróquia São João Eudes  realizou, na tarde-noite de ontem,  dia 18, na Igreja Matriz,  com o padre Gabriel  e nas capelas Nossa  Senhora do Perpétuo Socorro, com o Padre João João Carlos Santa Luzia, com o Monsenhor Idelfonso,  Nossa Senhora da Libertação a Paixão e Morte de Jesus Cristo. No final de cada celebração, todos foram convidados a participar da Via Sacra na Igreja Menino Deus, que percorreu várias ruas da Paróquia, no bairro Luciano Cavalcante, com a presença significativa de fiéis.
O padre João Carlos presidiu a celebração da Paixão e Morte de Jesus Cristo na capela Nossa Senhora do Perpétuo Socorro, que constou de três momentos: Liturgia da Palavra,  Adoração à Santa Cruz e Distribuição da Comunhão.  Terminada a celebração o sacerdote convidou a todos os presentes a participarem da Via Sacra na Igreja Matriz.

VIA SACRA

A Via Sacra, na Igreja Matriz, foi iniciada com a 1ª Estação, quando Jesus é condenado à morte. E a cada Estação encenada uma peça, com a participação dos membros do grupo denominado “Jovens Missionários Eudistas”. Cada quadro se relacionava com o tema da Campanha da Fraternidade “Fraternidade e Tráfico Humano” e com o lema: “É para a liberdade que Cristo nos Libertou “ (Gl 5,1). Antes, o pároco Luís Gabriel proclamava a Via Sacra e dois leitores comentavam a realidade sobre o “Tráfico Humano”.
E a Via Sacra  saiu da Rua Jaime Leonel  e passou a percorrer as ruas Doralice Costa, Bolivar Pinto Bandeira, Luíza Miranda Coelho, Livreiro Luís Maia e, novamente, Jaime Leonel, retornando para a Igreja Matriz. A cada Estação, entre o serviço de som  e os fiéis era deixado um espaço para a encenação de um quadro. Os jovens entravam em cena e mostravam a realidade hoje do nosso País. Eram crianças portando armas,  jovens sendo leiloadas por outros jovens que queriam possuí-las sexualmente. Os traficantes faziam as suas cobranças de drogas que tinham sido negociadas. Quando o cliente não tinha como pagar a dívida, eram assassinados. Sempre apareciam outros  para convencer aos jovens viciados ou prostituídos a deixarem aquela vida. E isso só acontece depois da última Estação, que ocorre quando todos já estão dentro da Igreja e os jovens são libertados das correntes. Foram cenas emocionantes que tocaram no coração de todos. Foi também um trabalho muito bonito realizado pelo grupo de jovens daquela Paróquia, que devem continuar  recebendo o apoio do pároco Luís Gabriel e de todos os paroquianos de São João Eudes.


No final, o padre Luís  Gabriel agradeceu a todos os fiéis, especialmente paroquianos, que participaram do evento, e aproveitou para convidar a todos a se fazerem presentes à solene Vigília Pascal, hoje, dia 19, sábado de Aleluia, na Igreja Matriz, nas comunidades Nossa Senhora do Perpétuo Socorro e Santa Luzia.


AMANHÃ

DIA 20 DE ABRIL
Domingo de Páscoa
Comunidade Menino Deus, às 7 e 19 horas
Comunidade Santa Luzia, às 8 e 17 horas
Comunidade Nossa Senhora do Perpétuo Socorro, às 9, 17 e 19 horas
Comunidade Nossa Senhora da Libertação, às 17 horas



sexta-feira, 18 de abril de 2014

CELEBRAÇÃO DO LAVA-PÉS NA CAPELA NOSSA SENHORA DO PERPÉTUO SOCORRO




Com uma celebração presidida pelo padre João Carlos realizou-se, na noite passada, a partir das 18h30, a Missa do Lava-pés, com a participação de 12 fiéis, na Capela Nossa Senhora do Perpétuo Socorro, uma das cinco da Paróquia São João Eudes, que fica no bairro Guararapes/Coco, nas proximidades do Iguatemi.


A Capela Nossa Senhora do Perpétuo Socorro estava com suas dependências completamente tomadas por católicos, que também ficaram fora do templo, e fizeram questão de chegar cedo para o início do Tríduo Pascal, que começou ontem, com a celebração da Ceia do Senhor.
LAVA-PÉS
Na solenidade do lava-pés, o celebrante pegou uma bacia com água, que lhe foi entregue por um seminarista, e começou a lavar os pés de casais,  escolhidos pela coordenação da Liturgia. Todos estavam sentados nas duas primeiras filas de bancos da Capela.
TRASLADAÇÃO

A celebração foi encerrada com a trasladação do Santíssimo Sacramento, incensado e levado para um altar, onde foi adorado até às 21h30.

PROGRAMAÇÃO DE HOJE
  DIA 18 DE ABRIL
Sexta-feira da Paixão
Tríduo Pascal Paixão do Senhor
Comunidade Menino  Deus, às 16h30
Comunidade Santa Luzia, às 16h30
Comunidade Nossa Senhora do Perpétuo Socorro, às 16h30
Comunidade Nossa Senhora da Libertação, às 16h30
Solene Via Sacra Paroquial, às 18h30, que acontecerá na Igreja Matriz (Menino Deus, no bairro Luciano Cavalcante).

AMANHÃ, DIA 19 DE ABRIL –SÁBADO DE ALELUIA
Tríduo Pascal Solene Vigilia Pascal
Comunidade Menino Deus, `|as 19 horas
Comunidade Nossa Senhora do Perpétuo Socorro, às 19 horas
Comunidade Santa Luzia, às 19 horas

DIA 20 DE ABRIL
Domingo de Páscoa

Comunidade Menino Deus, às 7 e 19 horas
Comunidade Santa Luzia, às 8 e 17 horas
Comunidade Nossa Senhora do Perpétuo Socorro, às 9, 17 e 19 horas
Comunidade Nossa Senhora da Libertação, às 17 horas



quarta-feira, 16 de abril de 2014

PROGRAMAÇÃO DA FESTA DA DIVINA MISERICÓRDIA

V FESTA DA MISERICÓRDIA


Tema: " Misericórdia Divina, o Amor que Liberta"
Que a humanidade acolha e compreenda a Divina Misericórdia (João Paulo II).



PROGRAMAÇÃO DA FESTA DA DIVINA
MISERICÓRDIA DO 24-27 DE ABRIL DE 2014

Quinta Feira 24
ABERTURA DA FESTA - A MISERICÓRDIA CURA NOSSAS ENFERMIDADES (Missa pelos enfermos)
18:30 - Adoração, Terço da Misericórdia
Dirigente: Eliane (Comunidade Casa do Evangelizador)
19:30 - Santa Missa da Saúde (Pe. Luis Gabriel Mendosa, cjm)
Louvor: Grupo de Jovens da Paróquia
Comunidade Convidadas: Matriz e Libertação
Pastorais Convidadas: Pastoral da Saúde, Legião de Maria e Apostolado da Oração.

Sexta Feira 25
Missa dos Jovens Missionários da Misericórdia 
18:30 - Adoração, Terço da Misericórdia
Dirigente: Jovens Eudistas
19:30 - Santa Missa pela juventude (Pe. Juan Carlos, cjm)
Louvor: Ministério de Musica da Paróquia.
Comunidade Convidadas: Santa Luzia e Perpetuo Socorro.

Sábado 26
Missa das Famílias dos Condomínios e Comunidade
16:30 - Adoração, Terço da Misericórdia
Dirigente: MESC
17:30 - Santa Missa  (Pe. Cristiano Henrique, cjm)
Louvor: Comunidade da Misericórdia
Pastorais Convidadas: MESC
Jantar Beneficente: 20:00hs

Domingo 27
SOLENE FESTA DA MISERICORDIA
15:30h - Tarde de Oração, Adoração,Terço da Misericórdia.
16:30h - Missa Solene (Pe. Josieldo)
Benção dos Quadros Jesus Misericordioso
Louvor: Ministério de Musica da Paróquia
Comunidade Convidada: Divina Misericórdia
Confraternização: Lanche partilhado

Observação: Todos os dias, exceto sábado e domingo, haverá barracas com venda de lanches.


ENDEREÇO:
Rua Dr. Pontes Neto, 215, Luciano Cavalcante. Próximo à Pracinha Lourdinha Campos 

Retiro dos Vocacionados


“Aquilo que parecia impossível, aquilo que parecia não ter saída, aquilo que parecia ser minha morte, mas Jesus mudou minha sorte, sou um milagre e estou aqui.”
Começo esse texto com um trecho da música “Sou um milagre” que foi umas das músicas que mais marcou o encontro desse final de semana de retiro vocacional, no momento dessa canção ficamos voltados para Jesus Eucarístico, e foi neste instante em que consegui escutar a voz do nosso Salvador, falando que esperava ansioso por meu “SIM”.
Então, como já é possível notar, estou escrevendo um texto sobre um retiro, mas foi um retiro vocacional bem especifico, que tinha o anseio de despertar o SIM ao sacerdócio.
O retiro vocacional aconteceu nos dias 5 e 6 de abril, estávamos doze vocacionados, e o nosso amado pároco estava nos acompanhando nesses dois dias. Saímos da casa de Formação para o local do retiro por volta das nove horas da manhã do dia 5, chegamos ao local e logo em seguida tivemos a primeira formação do dia sobre a Vida de São João Eudes. Nosso formador foi o nosso querido Padre Cristiano, onde refletimos  sobre a família do nosso Fundador. Mais tarde, assistimos ao filme “Karol, O Homem que se tornou Papa” que conta a história de decisão ao sacerdócio do nosso Santo Papa João Paulo II. Durante o filme despertava em nós vocacionados cada vez mais a vontade, cada vez mais a decisão de se doar ao outro, de ser pescador de homens. Ao final do dia rezamos o Santo Terço, o terço rezado foi o terço vocacional, enquanto orávamos, caminhávamos pela praia contemplando as maravilhas que Deus nos deixou, isso fortalecia nossa fé e mostrava o quão belo é o nosso Senhor, e a Santíssima Virgem Maria. Após o momento do Santo Terço, voltamos a casa de retiro e celebramos a Santa Missa, foi uma celebração eucarística simples, humilde, e super reflexiva. 
Terminando o primeiro dia de retiro, tivemos nosso último encontro do dia que foi um dos momentos mais belos vividos por mim durante minha caminhada na igreja católica, a Adoração de Jesus Eucarístico, foi um momento contemplativo, humilde, pobre, revelador, em que senti a presença real de Jesus, senti naquele instante o seu olhar de amor para comigo, vi o quanto Ele tem a me dar, e o quanto Ele aguarda por sacerdotes fieis, santos. Assim se encerrou o nosso primeiro dia de retiro.
Ao amanhecer, no dia 6, tivemos como primeiro momento a oração de Láudes,  depois tivemos uma formação com uma ministra eucarística chamada Noelia, o tema da formação foi sobre Oração. Conseguimos entender a importância da oração na vida do cristão  e principalmente de um consagrado.  Nossa jornada fechou  com a formação do Pé. Cristiano sobre a infância de São João Eudes e sua aspiração ao sacerdócio.
O que levamos de todo esse momento de contemplação, é que precisamos silenciar para escutar a voz do Senhor, e que precisamos nos deixar jogar nos braços de Jesus e acolher o seu chamado, pois a Igreja precisa de mim, precisa de pescadores de homens,  de Sacerdotes que se doem inteiramente , pela igreja, pelos homens, pelos jovens, pelo velhos e crianças e  que sejam fieis, que sejam  santos e vivam por amor a Jesus e a sua Igreja, com grande coração e animo decidido. 

Att, Douglas. Vocacionado Eudista

domingo, 13 de abril de 2014

DOMINGO DE RAMOS NA CAPELA NOSSA SENHORA DO PERPÉTUO SOCORRO



Os atos da Semana Santa na Paróquia São João Eudes foram iniciados hoje, com celebrações eucarísticas nas capelas Menino Deus (Igreja Matriz), Santa Luzia e na Comunidade Nossa Senhora do Perpétuo Socorro. Nesta às 9, 17 e 19 horas, com a das 17 horas sendo antecipada em meia hora, para a realização da procissão de Ramos.

Houve a bênção dos ramos feita pelo padre João Carlos, que logo em seguida comandou uma procissão pelas ruas do bairro Guararapes/Cocó, começando e terminando na Capela Nossa Senhora do Perpétuo Socorro, que fica localizada nas proximidades do  Iguatemi.]
De acordo com a informação do pároco Luís Gabriel, o restante da programação da Semana Santa na Paróquia São João Eudes é esta:

DIA 17 DE ABRIL
Quinta-Feira Santa: Tríduo Pascal Ceia do Senhora
Comunidade Menino Deus, às 18h30
Comunidade Santa Luzia, às 18h30
Comunidade Nossa Senhora do Perpétuo Socorro, às 18h30
Comunidade Nossa Senhora da Libertação, às 17 horas.
DIA 18 DE ABRIL
Sexta-feira da Paixão
Tríduo Pascal Paixão do Senhor
Comunidade Menino  Deus, às 16h30
Comunidade Santa Luzia, às 16h30
Comunidade Nossa Senhora do Perpétuo Socorro, às 16h30
Comunidade Nossa Senhora da Libertação, às 16h30
Solene Via Sacra Paroquial, às 18h30

DIA 19 DE ABRIL –SÁBADO DE ALELUIA
Tríduo Pascal Solene Vigilia Pascal
Comunidade Menino Deus, `|as 19 horas
Comunidade Nossa Senhora do Perpétuo Socorro, às 19 horas
Comunidade Santa Luzia, às 19 horas

DIA 20 DE ABRIL
Domingo de Páscoa
Comunidade Menino Deus, às 7 e 19 horas
Comunidade Santa Luzia, às 8 e 17 horas
Comunidade Nossa Senhora do Perpétuo Socorro, às 9, 17 e 19 horas
Comunidade Nossa Senhora da Libertação, às 17 horas


quarta-feira, 9 de abril de 2014

NA CRUZ, A SALVAÇÃO E A VIDA



    “Na Cruz, a salvação e a vida”. Quando li pela primeira vez esta frase fiquei maravilhado. É o lema episcopal de Dom Aloisio Lorscheider, que durante 22 anos se dedicou à Arquidiocese de Fortaleza, e que nos ajuda, de maneira direta, a entender tudo o que estávamos preparando no tempo da Quaresma e que estamos celebrando neste mês de abril.
     Como sabemos, o tempo da Quaresma nos propõe uma espiritualidade bem profunda. Celebramos os grandes mistérios de nossa fé. Foi uma longa caminhada de 40 dias de jejum, oração e esmola, que reflete a conversão íntima do nosso coração. Por meio de gestos externos mudamos nossas atitudes internas, o que será ponto de referência para restaurar a nossa vida. A palavra é restaurar, pela morte de Cristo na Cruz, toda a humanidade que encontra a salvação e a vida.
    Na cruz, o Senhor Jesus inclinou a sua cabeça e entregou o seu espírito para, posteriormente, ressuscitar. Esta é a plena certeza da nossa vida e finalidade da nossa salvação. Por isso, a Páscoa é o centro da vida cristã e dela se dá o sentido da nossa caminhada na construção do Reino de Deus. O mistério pascal, celebrado em toda Igreja, é o principal evento de toda humanidade. O Concílio Vaticano II expressava que: “... pelo mistério pascal da sua bem-aventurada Paixão, Ressurreição dos mortos e gloriosa Ascensão, em que «morrendo destruiu a nossa
morte e ressurgindo restaurou a nossa vida». Foi do lado de Cristo, adormecido na cruz, que nasceu o sacramento admirável de toda a Igreja.” (CONSTITUIÇÃO CONCILIAR SACROSANCTUM CONCILIUM SOBRE A SAGRADA LITURGIA N° 05).
   Na Sexta-feira da Paixão, o sacerdote ergue a cruz coberta por um tecido vermelho proclamando: “Eis o lenho da Cruz do qual pendeu a salvação do mundo”. E o povo aclama: “Vinde adoremos”. Na Sexta-feira Santa, a liturgia da Igreja celebra o mistério da cruz, fazendo-nos sentir o significado e o alcance dos  o frimentos de Jesus como Sumo Sacerdote da nova aliança: "Embora sendo Filho de Deus, aprendeu a ser obediente através de seus sofrimentos. E tornou-se a fonte de salvação eterna para todos que lhe bedecem" (Hb 5,8-9).
    Para Cruz erguida nossos olhos e nossos corações se direcionam como reconhecimento da salvação dada por Deus por meio do seu filho Jesus Cristo. A cruz é exaltada com reverência e silêncio, o reconhecimento dado por cada fiel quando adora o lenho da vida. Beijar a cruz é ter a plena certeza que nela está a salvação e a vida. A morte de Cristo, por mais dolorosa que seja, realiza toda a espera messiânica, porque o caminho da cruz é a maneira pela qual Deus revela seu amor e nos dá a vida. A vida em plenitude nos é revelada por meio da encarnação e morte de Nosso Senhor Jesus Cristo.
    A morte de Cristo é um grande testemunho da verdade. “Conhecereis a verdade e a verdade o libertará” (Jo 8,32). O sofrimento do Senhor Jesus é o sofrimento de todo gênero humano que se deixou levar pelo pecado. Cristo assume toda a realidade humana exceto o pecado. Quando Jesus sofre na cruz toda a mentira é retirada e o homem conhece a Verdade de Deus. Esta Verdade de Deus é o “sangue derramado por muitos em remissão dos pecados” (Mt 26,28). Da cruz do Senhor emana a Verdade plena de Deus e em Jesus Cristo a verdade de Deus se manifestou inteiramente, porque Ele é a Verdade.
    Termino destacando este lema: “Na cruz, a salvação e a vida”! Porquanto, chegamos à salvação por meio da cruz de Cristo. A cruz dá sentido à nossa vida, pois por seu meio recebemos a Verdade de Deus. Esta verdade é que toda a humanidade se salve e reconheça o senhorio de Jesus. Deus não é alheio ao sofrimento humano; Ele se une a cada pessoa que sofre nas diversas esferas de nossa sociedade. Na nossa cultura, estamos mais identificados com o sofrimento dentro do nosso contexto latino-americano, mas na cruz se abre a liberdade e a escravidão do sofrimento dá lugar à vida.
    “Eu vim para que todos tenham vida e todos tenham vida plenamente” (Jo 10, 10). Assim, a missão é restaurar o Plano de Deus, recuperar a vida divina para a humanidade. Celebremos e nos alegremos pela vida dada por Deus, e pela salvação. Cristo dissipa as trevas do pecado com a coluna luminosa na noite do Sábado Santo. Os nossos corações recebem alegremente a grande graça do amor de Deus, por isso não podemos continuar da mesma maneira e sim mudar nossas atitudes. Encontremos a vida e a salvação dada por Cristo!

Pe. Cristiano Henrique de Sousa cjm.

Retirado do Jornal AveCor 19°Edição