sexta-feira, 12 de fevereiro de 2016

EM MENSAGEM, PAPA FRANCISCO RESSALTA IMPORTÂNCIA DA CAMPANHA DA FRATERNIDADE 2016

A abertura oficial da CFE aconteceu, na Quarta-feira de Cinzas, 10, na sede da CNBB, em Brasília
“Ela propõe cada ano uma motivação comunitária para a conversão e a mudança de vida”, escreveu o papa Francisco, em mensagem, por ocasião da abertura oficial da Campanha da Fraternidade Ecumênica 2016. Durante evento realizado, na Quarta-feira de Cinzas, 10, na sede da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), foi lido o texto enviado pelo Vaticano.
Na mensagem, o papa Francisco destaca que a Campanha da Fraternidade, deste ano, trata de uma temática importante para a vida do planeta, parabenizando a Conferência dos Bispos pela iniciativa. “O objetivo principal deste ano é o de contribuir para que seja assegurado o direito essencial de todos ao saneamento básico. Para tanto, apela a todas as pessoas convidando-as a se empenharem com políticas públicas e atitudes responsáveis que garantam a integridade e o futuro de nossa Casa Comum”, disse o papa. 
Ainda no texto, Francisco convida a todos para a vivência da Quaresma, a partir de ações concretas de cuidado com o meio ambiente: “Eu os convido, principalmente durante esta Quaresma, motivados pela Campanha da Fraternidade Ecumênica, a redescobrir como nossa espiritualidade se aprofunda quando superamos ‘a tentação de ser cristãos, mantendo uma prudente distância das chagas do Senhor’ e descobrimos que Jesus quer ‘que toquemos a carne sofredora dos outros’, dedicando-nos ao ‘cuidado generoso e cheio de ternura’ de nossos irmãos e irmãs e de toda a criação”. 
Confira a íntegra da mensagem:
Mensagem do Papa Francisco por ocasião da Campanha da Fraternidade Ecumênica 2016
Queridos irmãos e irmãs do Brasil!
Em sua grande misericórdia, Deus não se cansa de nos oferecer sua bênção e sua graça e de nos chamar à conversão e ao crescimento na fé. No Brasil, desde 1963, se realiza durante a Quaresma a Campanha da Fraternidade. Ela propõe cada ano uma motivação comunitária para a conversão e a mudança de vida. Em 2016, a Campanha da Fraternidade trata do saneamento básico. Ela tem como tema: “Casa comum, nossa responsabilidade”. Seu lema bíblico é tomado do Profeta Amós: “Quero ver o direito brotar como fonte e a justiça qual riacho que não seca”. (Am 5, 24).
É a quarta vez que a Campanha da Fraternidade se realiza com as Igrejas que fazem parte do Conselho Nacional das Igrejas Cristãs do Brasil (Conic). Mas, desta vez, ela cruza fronteiras: é feita em conjunto com a Misereor, iniciativa dos católicos alemães que realiza a Campanha da Quaresma desde 1958. O objetivo principal deste ano é o de contribuir para que seja assegurado o direito essencial de todos ao saneamento básico. Para tanto, apela a todas as pessoas convidando-as a se empenharem com políticas públicas e atitudes responsáveis que garantam a integridade e o futuro de nossa Casa Comum.
Todos nós temos responsabilidade por nossa Casa Comum, ela envolve os governantes e toda a sociedade. Por meio desta Campanha da Fraternidade, as pessoas e comunidades são convidadas a se mobilizar, a partir dos locais em que vivem. São chamadas a tomar iniciativas em que se unam as Igrejas e as diversas expressões religiosas e todas as pessoas de boa vontade na promoção da justiça e do direito ao saneamento básico. O acesso à água potável e ao esgotamento sanitário é condição necessária para a superação da injustiça social e para a erradicação da pobreza e da fome, para a superação dos altos índices de mortalidade infantil e de doenças evitáveis, e para a sustentabilidade ambiental.
Na encíclica Laudato Si´, recordei que “o acesso à água potável e segura é um direito humano essencial, fundamental e universal, porque determina a sobrevivência das pessoas e, portanto, é condição para o exercício dos outros direitos humanos” (n.30) e que a grave dívida social para com os pobres é parcialmente saldada quando se desenvolvem programas para prover da água limpa e saneamento as populações mais pobres (cf. ibid.) E, numa perspectiva de ecologia integral, procurarei evidenciar o nexo que há entre a degradação ambiental e a degradação humana e social, alertando que “a deterioração do meio ambiente e da sociedade afetam de modo especial os mais frágeis do planeta” (n. 48).
Aprofundemos a cultura ecológica. Ela não pode se limitar a respostas parciais, como se os problemas estivessem isolados. Ela “deveria ser um olhar diferente, um pensamento, uma política, um programa educativo, um estilo de vida e uma espiritualidade que oponham resistência ao avanço do paradigma tecnocrático” (Laudato Si´, n. 111). Queridos irmãos e irmãs, insisto que o rico patrimônio da espiritualidade cristã pode dar uma magnífica contribuição para o esforço de renovar a humanidade. Eu os convido, principalmente durante esta Quaresma, motivados pela Campanha da Fraternidade Ecumênica, a redescobrir como nossa espiritualidade se aprofunda quando superamos “a tentação de ser cristãos, mantendo uma prudente distância das chagas do Senhor” e descobrimos que Jesus quer “que toquemos a carne sofredora dos outros” (Evangelii Gaudium, n. 270), dedicando-nos ao “cuidado generoso e cheio de ternura” (Laudato Si´, n. 220) de nossos irmãos e irmãs e de toda a criação.
Eu me uno a todos os cristãos do Brasil e os que, na Alemanha, se envolvem nessa Campanha da Fraternidade Ecumênica, pedida a Deus: “ensinai-nos a descobrir o valor de cada coisa, a contemplar com encanto, a reconhecer que estamos profundamente unidos com todas as criaturas no nosso caminho para a vossa luz infinita. Obrigado porque estais conosco todos os dias. Sustentai-nos, por favor, na nossa luta pela justiça, o amor e paz (Laudato Si´, n. 246). Aproveito a ocasião para enviar a todos minhas cordiais saudações com votos de todo bem em Jesus Cristo, único Salvador da humanidade e pedido, que, por favor, não deixem de rezar por mim.
Papa Francisco 


sexta-feira, 22 de janeiro de 2016

PARÓQUIA SÃO JOÃO EUDES REALIZA PLANEJAMENTO DO QUADRIENIO



A Paróquia São João Eudes reuniu seu Conselho  Pastoral, os membros do COMIPA, coordenadores das Comunidades e das diversas pastorais para fazer o planejamento paroquial do quadriênio 2016-2013.

O objetivo geral do Planejamento Paroquial é evangelizar a partir de Jesus Cristo e na força do Espírito Santo, como Igreja, discípula, missionária e profética e misericordiosa, alimentada pela Palavra de Deus e pela Eucaristia, à luz da evangélica opção preferencial pelos pobres, para que todos tenham vida, rumo ao Reino definitivo.


Os participantes foram divididos em cinco grupos  de acordo com as 5 urgências adotadas pela Igreja no Brasil:  1- Igreja em Estado permanente de Missão,  como Igreja missionária, atingindo as periferias  que precisam conhecer o Evangelho: 2-Igreja Casa de iniciação à vida cristã, visando ampliar uma efetiva iniciação à vida cristã a partir dos sacramentos do Batismo, Eucaristia e Confirmação;  3- Igreja lugar de animação bíblica da vida e da pastoral, onde a Palavra de Deus chegue aos corações pelo conhecimento e sua  interpretação num caminho de comunhão e de oração.  4- Igreja Comunidade de Comunidades onde a fé no mesmo Senhor gera  o convívio fraterno, laços de afetividade, de interesses comuns, de estabilidade e  de solidariedade entre seus membros.e  5- Igreja a serviço da vida plena para todos, onde a vida como dom de Deus deve ser a preocupação do missionário diante de tantas ameaças que a cercam.


Reunidos os grupos, discutiram   e sugeriram diversos projetos e atividades para este quadriênio onde, no final, o secretário de cada grupo apresentou para a assembleia suas sugestões, que entregues ao Padre Gabriel serão analisadas e acolhidas e daí teremos as diretrizes da evangelização da nossa Paróquia no referido quadriênio.


domingo, 20 de dezembro de 2015

PARÓQUIA SÃO JOÃO EUDES INICIA O ANO DA MISERICÓRDIA



Com celebrações  nas capelas Divina Misericórdia e Nossa Senhora da Libertação, ontem, sábado, dia 19, e hoje, em Santa Luzia, Nossa Senhora do Perpétuo Socorro e Menino Deus (Igreja Matriz) a Paróquia São João Eudes dá  início ao Ano de Misericórdia. Nesta manhã, o pároco Luís Gabriel celebrou uma missa na Capela de Santa Luzia, com o Ato Penitencial sendo substituído pelo Rito da Aspersão, com o presidente da celebração, depois da procissão de abertura, suplica a Deus que digne abençoar a água, que foi aspergida "sobre nós para memória do nosso batismo. Ela é a invocação da misericórdia e salvação  em virtude da ressurreição de Jesus Cristo”.


Depois de aspergir a assembleia, o padre Luís Gabriel voltou para o presbitério e ficou esperando o Banner,Capela da Divina Misericórdia, bandeira e crianças com flores, vela e missionários. Na oportunidade, o presidente da celebração abençoou a Capela, que percorrerá residências da Paróquia, durante o Ano da Misericórdia. As primeiras a serem visitadas tiveram os seus proprietários também abençoados. São eles, Bruno Moreira, José Carlos de Sousa Silva, José Washington Nobre e Márcio Batista.



Naquele momento, o padre Luís Gabriel chamou três crianças, que colocaram flores (três buquês) e velas num suporte que sustentava a Capela da Divina Misericórdia e o Ministério de Música passou a cantar o hino da Misericórdia.



MESMO RITUAL


O mesmo ritual, segundo o padre Luís Gabriel foi realizado nas capelas da Divina Misericórdia e Nossa Senhora da Libertação, na tarde-noite de ontem e acontecerá nas capelas Nossa Senhora do Perpétuo Socorro e Menino Deus (Igreja Matriz) nesta tarde-noite.


sexta-feira, 18 de dezembro de 2015

CONCERTO DE NATAL DA PARÓQUIA SÃO JOÃO EUDES



Com uma celebração eucarística presidida pelo  pároco Luís Gabriel, a Paróquia São João Eudes realizou, na noite passada, um concerto natalino que constou de apresentações da Orquestra Bachiana Jovem de Aquiraz e o Coral Canto Livre, da Associação Tapera das Artes, formados por jovens e crianças do vizinho município; coral Arautos do Evangelho, sob a regência do irmão Geraldo e do cantor Paulo José, que interpretou dez músicas natalinas e católicas, que foram acompanhadas pelos paroquianos, que lotaram as dependências da Capela Santa Luzia, que está completando 100 anos.


A Associação Tapera das Artes, uma organização não governamental de arte e cultura, de Aquiraz, tinha na coordenação à ex-prefeita de Aquiraz, Ritelza Cabral, participou da noite com uma orquestra e um coral formado por jovens e crianças, que fizeram uma apresentação que agradou aos paroquianos e os organizadores do evento, que agradeceram, através de Lúcia de Fátima, as exibições.



Outra bonita exibição foi a do coral Arautos do Evangelho, com o irmão Geraldo à frente. Eles cantaram cinco músicas, como Esplendorosa Noite, Adeste Fideles, Noite Feliz em português e alemão, terminando com Gloria in Excelsis Deo.


Finalmente, a apresentação do cantor Paulo José, dono de uma voz que encantou a todos e que em alguns momentos se empolgaram tanto com o músico, que ficaram de pé, como aconteceu com a música Feliz Natividade e em outros momentos com a dupla que o acompanha em suas apresentações.

Na realidade foi uma noite muito bonita e que segundo o padre Luís Gabriel “vamos repeti-la todos os anos”. 





quarta-feira, 16 de dezembro de 2015

ENCERRAMENTO DA FESTA DE SANTA LUZIA NO JARDIM DAS OLIVEIRAS



Com uma procissão, que percorreu as ruas Antônio Rocha, Amador Bueno, Desembargador Carvalho Lima,  Padre Francisco Pita, Faustino de Albuquerque, Feliciano de Ataíde, Senador Carlos Jereissati, Ademar de Barros e mais uma vez Faustino de Albuquerque e Antônio Rocha, do bairro Jardim das Oliveiras e, logo em seguida, uma missa campal celebrada pelo padre Luís Gabriel, pároco de São João Eudes, ficaram encerrados, no último dia 13 de dezembro, os festejos em honra a Santa Luzia.




As novenas foram bem animadas, bem como as celebrações, que  lotaram as dependências da Capela Santa Luzia, com   a participação dos fiéis católicos, especialmente os devotos da padroeira do bairro Jardim das Oliveiras.



segunda-feira, 14 de dezembro de 2015

DOM JOSÉ ANTONIO ABRE A PORTA SANTA DA CATEDRAL DE FORTALEZA



Dom José Antonio Aparecido Tosi Marques, arcebispo de Fortaleza, abriu, na manhã deste domingo, dia 13 de dezembro de 2015, 3º Domingo do Advento, a Porta Santa da Catedral, no Centro da Capital cearense, com cerca de 10 mil  fiéis católicos presentes, de acordo com os cálculos do padre Gilson Soares, pároco do Senhor do Bonfim, no bairro Monte Castelo. Foram pessoas vindas do Interior do Estado, de bairros, em grupos formados por suas paróquias.

A solenidade teve início às 10 horas, na Igreja do Pequeno Grande, na Avenida Santos Dumont, 55, no Centro, de onde saiu a procissão para a Catedral, passando pelas ruas 25 de Março, entrando na Rua Costa Barros até a Rua Conde D’eu. Uma multidão incalculável esperava a procissão, que era coordenada por dom José Antonio, que se deparou com obstáculos para chegar à Porta Santa. Ele teve que esperar um pouco e, claro, os fiéis também, porque a pessoa que estava com a chave da porta encontrou dificuldades para se aproximar do arcebispo, devido a grande aglomeração.
Numa solenidade muito rápida, o arcebispo fez uma oração e abriu a porta e todos entraram apressadamente para “pegar” um bom lugar e foi iniciada a celebração eucarística de abertura do Ano Santo, aberto no último dia 8 pelo Papa  Francisco, na Basílica de São Pedro, em Roma. Primeiramente, em Bagui, Capital da República Centro Africana, no dia 29 de novembro e hoje, na Porta Santa da Catedral de Roma, a Basílica São João de Latrão.


A celebração eucarística desta manhã na Catedral foi presidida por dom José Antonio e concelebrada por dom Rosalvo, bispo auxiliar de Fortaleza pelos bispos eméritos da Capital, dom Adalberto e dom Edmilson, de Limoeiro do Norte e cerca de uma centena de padres. Estiveram presentes ainda mais de cem seminaristas e um bom número de diáconos permanentes. 
Atualização: dia 14.12.2015, às 12h21min